supernova Archive

sexta-feira

27

junho 2014

0

COMMENTS

Notícias do espaço

Written by , Posted in Urbanidades

Essa pedra não veio do espaço e foi encontrada aqui na Terra exatamente assim, com o que parece uma nebula presa dentro dela:

xyizw3i0bwzjnx95y2bb

Esses dias a NASA divulgou o conceito de uma nave espacial que viajará mais rápida que a velocidade da luz, entortando o espaço:

huktzitxzojen9b5nvoi

Enquanto isso, o telecópio Hubble capturou imagens de uma explosão estelar, durante quatro anos:

Enquanto isso, por aqui tem Copa.

sexta-feira

16

novembro 2012

1

COMMENTS

Supernova e a mixtape de verdade

Written by , Posted in Hoje tem, Música

De malas prontas para Londres, o DJ Yugo repete a experiência do ano passado e substituiu filipetas e mixtapes digitais por CDs físicos com um set para divulgar sua festa de despedida, Supernova. Ele explica o porquê e o que tem aprendido com essa experiência, analisando os resultados até aqui:

“Tava aqui lembrando de quando fiz essas mixtapes pra distribuir na primeira Supernova, ano passado, e você postou rapidamente no URBe. O lance todo era o papo de como correr do facebook e divulgar a festa de uma forma alternativa e gentil.

“Quase 1 ano depois, repeti a dose, como você anda vendo. Pensei em te contar sobre pq acho que a história andou, de repente até te interessa e rende uma pauta (vi que você andou falando de mixtapes no Trans), mas sem compromisso:

“Dobrei o número de cópias: 400. Gastei no total R$300 com os CDs + capinhas e aproximadamente uns R$20 com os carimbos. Carimbei metade, uns amigos ajudaram a carimbar o resto. Em uma hora e meia dá tempo de fazer tudo, se tiver gente ajudando é o tempo de ouvir a mixtape.

“Da primeira vez tinha a curiosidade de saber se daria certo como forma de divulgação. A festa deu muito certo, mas foi no dia 30 de dezembro, a cidade estava LOTADA pro reveillón e cheia de gente em copacabana procurando algo pra fazer, então achei um dia muito atípico pra saber se, de fato, 200 mixtapes fizeram alguma grande diferença.

“Dessa vez vai dar pra ter uma ideia mais real, acredito, pq a quantidade de cópias dobrou e eu tive mais tempo pra distribuir inclusive enquanto tocava em três festas nos últimos finais de semana. Uma menina bêbada chegou a “implorar”, achando que eu tinha poucas, qdo na real ainda tinham várias (engraçado).

“Independente de ter funcionado ou não da primeira vez, lembro de umas três pessoas desconhecidas que foram me dizer que tinham ido na festa porque ganharam a mixtape. Dessa vez já teve um cara que me achou no soundcloud dizendo que ouviu com um amigo e que curtiu muito, querendo uma cópia e pedindo pra eu colocar no soundcloud, como fiz com a primeira (pretendo colocar em breve, na semana que vem, qdo rola a festa).

“Durante todo esse tempo uma galera veio até mim pedindo pra fazer outra, pq já tinha ouvido demais a primeira. Acho que nem com mixtapes que a gente coloca na internet rola isso, da galera ouvir muitas vezes.

“A sensação que eu tenho é a de estar fazendo um lance bacana até a longo prazo, me misturando, fazendo parte da cidade viva, ocupando, circulando, trocando. Volta a história “mundo real vs mundo virtual”, né? tem muito do Rio de Janeiro nesse calor humano também.

“Uma penca de gente diz que ouviu, acho que quase todo mundo ouve, não é um flyer que vai pro lixo quase instantâneamente ou fica meio “sem-vida” depois da festa. Isso é bem legal também.

“Além do mais, o que tem de gente que não pesquisa música e/ou só ouve no youtube é assustadora, acho que a maioria faz assim. Uma galera não deve curtir o som, naturalmente, mas se existe uma única certeza é que quem curte o som acaba adorando o presente/flyer.

“Tô até pensando em testar isso em Londres…”

A mixtape já está online. Nesse sábado o resultado da estratégia se fará sentir na festa.

sexta-feira

23

dezembro 2011

1

COMMENTS

Sobre Facebook, mixtapes e ressaca digital

Written by , Posted in Digital, Música

Tá difícil divulgar qualquer coisa no Facebook atualmente. Falei disso em relação a festa de 8 anos do URBe, é tanto informação que ninguém presta atenção em mais nada, mesmo quem potencialmente se interessaria. E como a rede social virou a principal forma de contactar os amigos, a tarefa fica difícil.

Levando esse embate analógico vs digital ao extremo, o DJ Yugo resolveu divulgar sua nova festa, Supernova, a moda antiga: distribuindo CDs com uma mixtape de mão em mão, no mundo real. Ele mesmo explica:

“Por incrível que pareça, convidar alguém para uma festa, pelo Facebook, ou até por email, hoje em dia é um incômodo. Aliás, tudo incomoda, porque a rede virou uma grande ‘feira ao ar livre’. As pessoas se sentem como turistas em Copacabana ou no nordeste, cercados por ambulantes tentando te ‘vender’ alguma coisa. Quando o que te vendem interessa, tudo bem, mas quando não interessa surge o tal incômodo. 

“A verdade é que é difícil filtrar tudo na internet, e um possível convite para uma festa bacana se perde no meio da multidão de eventos. Daí pensei: como faço pra convidar as pessoas para a minha festa? acho que a primeira coisa que você quer saber quando é convidado pra uma festa é ‘que festa é essa?’. Resolvi, então, definir pela música. Fiz uma mixtape com a cara da Supernova, que nada mais é do que uma dinâmica de estilos e gêneros de Dance Music que eu gosto de tocar na pista. Não é uma festa ‘pop’, não é uma festa ‘eletrônica’, é livre de gêneros e convenções, do jeito que eu gosto.

“Gravei 200 CDs com a mixtape que fiz. No CD coloquei também um poster da festa e um link com o tal evento do Facebook e distribui em alguns cantos onde acho que posso encontrar pessoas que se interessariam pela farra. Não dá muito pra fugir do Facebook também, as pessoas naturalmente buscam informações por ele, mas imaginei que o approach deveria ser diferente.

“Está sendo uma experiência, acho que pra dar MUITO certo, se tratando de uma festa que ninguém nunca foi antes (primeira edição da Supernova), eu precisaria ter feito até 1000 CDs (imagino que algumas pessoas possam nem ter ouvido a mix que fiz com tanto carinho), mas com isso coloquei a festa na rua de uma forma menos impessoal, acredito.

“Ainda estou observando o impacto desses 200 CDs e nem sei se vou chegar a uma conclusão precisa, acho difícil. De qualquer forma. Deixei que alguns amigos distribuissem também, e já vi gente que eu nem conheço adorando e agradecendo um dos meus amigos pelo presente. É esse tipo de coisa que ando buscando.”

A canseira digital pode estar apenas começando.
%d blogueiros gostam disto: