quarta-feira

14

março 2012

9

COMMENTS

ECAD: uma outra visão

Written by , Posted in Destaque, Digital

 

ECAD anda sendo espancado pelas seguidas lambanças que faz, não injustamente. No entanto, não raro recebo emails de músicos reclamando da superficialidade desses ataques. O produtor Strausz escreveu a respeito disso no Facebook, reproduzo aqui por achar interessante dar outra visão do assunto.

“Em relação a esse tópico do ECAD que tanto tem se discutido, por causa da cobrança de vídeos encorporados em blogs queria levantar um ponto. Tenho tido a impressão de que as pessoas reclamam muito do órgão e do sistema de arrecadação, então gostaria lembrar como os direitos autorais começaram:

“Era muito comum, antes mesmo da invenção do fonógrafo, que compositores tivessem suas obras tocadas publicamente em casas de shows. O que acontecia era que os músicos executantes da obra recebiam, o dono da casa de espetáculos e todos os demais envolvidos lucravam, exceto pelo compositor da obra. Começa a luta pelos direitos autorais, para que os autores da obra recebessem a sua fatia do bolo.

“Hoje em dia, existe um escritório de arrecadação, sem fins lucrativos (na teoria), que fiscaliza a execução pública e repassa para as sociedades arrecadadoras, que repassam para o autor. Dessa forma aqueles que lucram com a execução pública de uma obra devem repassar uma parte desse lucro aos autores. Essa é uma explicação supérflua de como o sistema funciona.

“O que me parece ser o problema não é o sistema, mas a ganância, falta de fibra moral, falta de ética, falta de noção de alteridade (etc) das pessoas envolvidas na execução e adaptação desse sistema ao nosso contexto, que impede resultados justos.

“Resumindo, o que eu quero dizer é, parem de culpar tanto as entidades, isso é muito fácil, se querem reclamar, procurem quem são as pessoas dentro delas que estão impedindo que os resultados sejam bons e melhor do que criticar, contribuam com informações para que melhorem. E parem com essas imagens engraçadinhas, porque o que eu vejo é um bando de rebelde sem causa.

“Quem quiser me corrigir de alguma coisa, por favor o faça.”

E aê?

Anúncios

Deixe uma resposta

9 Comments

  1. Bruno
  2. Onaicram
  3. Onaicram
  4. zubreu
  5. kassin
    • bernardo

Deixe uma resposta

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: