planet hemp Archive

quarta-feira

29

junho 2016

0

COMMENTS

Def, “Sobre os Prédios que Derrubei Tentando Salvar o Dia (parte 1)” (EP, 2016)

Written by , Posted in Música

Def Sobre os Prédios URBe

Formada por remanescentes da extinta Colombia Coffee, o Def se inspira no rock alternativo dos anos 90, trazendo influências de Pavement e Sonic Youth. A banda carioca acaba de lançar seu trabalho de estreia pelo selo independente Bichano Records. “Sobre os Prédios Que Tentei Derrubar Tentando Salvar o Dia (Parte 1)” foi gravado por Pedro Garcia (Planet Hemp) e  é o primeiro de uma série de três EPs que irão formar o primeiro álbum do grupo.

Deb F, vocais e guitarra do Def, foi responsável pela produção do primeiro EP da Tom Gangue, que também já deu as caras por aqui no URBe.

A Bichano Records está há dois anos lançando diversos títulos independentes de bandas de música torta, espalhadas por todo o Brasil.

Anúncios

terça-feira

25

fevereiro 2014

0

COMMENTS

Iky Castilho, "Low Cura" (The Vinyl Library mixtape)

Written by , Posted in Música

The Vinyl Library Brazil - Low Cura - Mix by Iky Castilho

Convidado pela The Vinyl Library, projeto londrino de discoteca pública de vinis, em visita ao Brasil, Iky Castilho fez um set só com grooves brasileiros de sua coleção pessoal.

As músicas:

01 Jose Ari – “Tema do filme Estranho Triângulo”
02 Marcos Valle – “Fogo do Sol”
03 Lo Borges – “Como o Machado”
04 Flora Purin – “Conversation”
05 Gilberto Gil – “Zumbi, a Felicidade Guerreira”
06 Marku Ribas – “Quem pede, pede”
07 Os Tincoãs – “Promessa ao Gantois”
08 Aquarela Brasileira – “Top Ten” / “Baby”
09 Zimbo Trio – “Eu só quero um xodó”
10 Conjunto de percussão do CECG – “Tamba Tajá”
11 Banda de Pau e Corda – “Praça de Esmola”
12 Airto Moreira – “Tombo em 7/4”
13 Lula Cortes – “Brilhos e Mistérios”
14 Fuzi 9 – “Onde tu vai baião?”
15 Don Salvador e Abolição – “Uma Vida”
16 Fagner – “Tambores”
17 Itamar Assumpção – “Baby”
18 Gerson King Combo – “Jingle Black”
19 Jorge ben – “Errare Humano Este”
20 The Brazilian Beatles – “Tema Baseado na Coisa”
21 Painel de Controle – “Black Coco”
22 Lady Zú e Totó – “Hora de União”
23 Jorge Ben – “Umbabarauma”
24 Mano Brow – “Umbabarauma”
25 Carlos Dafé – “Zé Marmita”
26 Tom e Dito – “Malandragem dela”
27 Totonho – “Armadilha”
28 Stan Getz e João Gilberto – “Desafinado”
29 Jards Macalé – “Para ver as meninas”
30 Planet Hemp – “Nega do Cabelo duro”
31 Tim Maia – “I don’t know wath to do with myself”
32 Eva – “Vou Seguindo”
33 Don Salvador e Abolição – “Uma Vida”

sábado

29

setembro 2012

3

COMMENTS

O HC família do Planet Hemp

Written by , Posted in Destaque, Música, Resenhas

Sentado numa cadeira de praia logo a frente da bateria, vestindo uma camiseta do Dinosaur Jr, Marcelo D2 recuperava o fôlego entre cada música – por vezes até durante as músicas. Quem apostou nos atrasos do Circo Voador perdeu o início do show. Iniciado 0h30, apenas 30 minutos após o horário marcado. O tempo passou e não foi só para os integrantes do Planet Hemp.

O show de lançamento da turnê de reunião do enfumaçado grupo (planet é um anagrama de plante, nunca tinha percebido até digitar errado), após “dez anos longe dos palcos” (numa incompreensível insistência em ignorar o show de 2004, no Humaitá pra Peixe, sem falar na apresentação na comemoração dos 20 anos da MTV), reuniu fãs das antigas, prontos para pogar e revisitar a banda. A atmosfera era de túnel do tempo.

O impacto da Esquadrilha da Fumaça na cena cultura carioca e nacional pode ser medida também pela quantidade de talentos com quem trabalharam durante os anos: FleshBeck Crew, Apavoramento, Motilla/Cara de Cavalo, Matias Maxx, Pepa Filmes e tantos outros. Vários desses personagens da história do Planet estavam assistindo da lateral do palco ou trabalhando – filmando, fotografando, fazendo o telão.

Ainda que possa se chamar o quinteto no palco de formação clássica, fizeram muita falta Black Alien (focado no lançamento do seu próximo disco) e o DJ Zé Gonzales. Autor de vários versos memoráveis da banda, Black Alien foi a ausência mais sentida. Já Zégon poderia ter trazido mais groove pro som, que na sua ausência ficou mais focado no hardcore.

Não se pode esperar do Planet Hemp, mesmo com toda produção, com telão de LED e os muitos roadies, nada que não seja podreira. Apuro técnico não é o foco da banda, eles sobem no palco pra fazer barulho e promover anarquia. Para que as letras e o som mantenham esse caráter, é importante que a banda não deixe os anos de experiência interferirem e rebuscar demais.

Afinal, trata-se de uma visita, de um resgate de algo que aconteceu mais de uma década atrás e não teve continuidade. Portanto, seria até paradoxal se a banda tivesse ido além dos cinco ensaios, citados por D2 no palco, para incrementar a herança de Beastie Boys e Cypress Hill via Garage e Rua Ceará. Bom que as coisas tenham se mantido como são.

Olhando o público lá de cima, D2 e BNegão se divertiam com as invasões autorizadas do palco, até ajudando gente a subir para poder pular. Alguns desses aproveitaram para fazer manifestações. Meninas beijavam D2, marmanjos davam berros antes de saltar, partidários abraçavam BNegão enquanto mostravam o dedo do meio para D2, mostrando de que lado estavam nas eternas disputas internas da banda.

Mesmo que a pista do Circo tenha se tornado uma grande roda de pogo durante todo o show, a maior parte do público regulava em idade com a banda, com alguns moleques assistindo o Planet pela primeira vez. Se os quarentões já não tem a mesma energia, o público quicou sem parar, mandou incontáveis mosh (incluindo meninas) e não faltou soco, cotovelada, empurrão, pisão no pé e bico na canela durante as duas horas de show. Até pezada na cara sobrou vinda de gente caindo do céu.

No lugar do Sonrisal e água de coco, a ressaca de sábado foi regada a Dorflex. O tempo passa, para todos.

As músicas:


foto: Ramon Moreira

1º ato – Usuário

Não compre, plante!
Legalize Já!
Deisdazseis
Dig dig dig (hempa)
Planet Hemp
Fazendo a cabeça
Futuro do país
Phunky Buddha
Bala perdida

2º Ato – Os Cães Ladram Mas a Caravana Não Para

Zerovinteum
Queimando Tudo
Quem tem seda?
Gorilla Grip
Seus Amigos
Nega do cabelo duro
Hip Hop Rio
Adoled (Ocean)
100% hardcore

3º Ato- A Invasão do Sagaz Homem Fumaça

Ex-quadrilha da fumaça
Raprockandrollpsicodeliahardcoreragga
Stab
Contexto
Procedência C.D.

4º Ato – “O que vocês quiserem”

A culpa é de quem?
Samba Makossa (Chico Science & Nação Zumbi)
Mantenha o Respeito

Bis:

Medley com músicas dos 1º e 2º atos
Legalize Já!
Dig dig dig (hempa)

quinta-feira

21

outubro 2010

5

COMMENTS

Planet Hemp de volta

Written by , Posted in Música, Resenhas

A Esquadrilha da Fumaça está de volta. Desde 2004, no show de encerramento do Humaitá Pra Peixe no Canecão (não é isso, enciclopédicos de plantão?), Marcelo D2, BNegão, Formigão, Rafael Crespo, Zé Gonzalez e Pedrinho não subiam no palco juntos.

O encontro se deu, novamente, numa ocasião especial, a festa de 20 anos da MTV, onde tocaram também, Caetano, Jorge Ben (com Caetano), Paralamas, Titãs, Chitãozinho com Fresno e um monte de nomes que fizeram a história da emissora, cada um tocando uma música acompanhado de uma banda fixa, num Rock Band ao vivo.

Ver a banda junta sempre me lembra um show deles no Parque Garota de Ipanema, um pouco antes do estouro, em 1900 sem blogues. A grande ausência da noite foi a prometida participação do Black Alien. Uma pena, porque até Bacalhau, o baterista original, foi lembrado, citado de brincadeira por D2 ao apresentar a banda.

O papo é que o Planet Hemp fará uma série de shows. De repente o Mr. Niterói aparece nos próximos. Ele faz muita falta.

sexta-feira

13

fevereiro 2009

2

COMMENTS

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: