lagoa Archive

domingo

20

junho 2010

4

COMMENTS

O incêndio no Morro dos Cabritos e o Twitter

Written by , Posted in Urbanidades

Os grandes veículos de imprensa sequer noticiavam o incêndio gigantesco que lambeu o Morro dos Cabritos, na Lagoa, Rio, quando no Twitter surgiam as primeiras imagens e o assunto era bastante comentado. Foi da rede social que veio a informação de que o fogo foi causado por um balão.

Um dos pontos mais abordados entre os usuários era justamente a demora dos portais de notícia em falar do fogo. O cheiro de queimado já havia se espalhado por diversos bairros até o triste assunto finalmente surgir nos canais de notícia na TV e na rede, com um atraso de mais de hora — e sem imagens.

Da mesma janela de onde fez o registro mais comentado do Rio saindo do apagão ano passado (e também de uma tempestade se formando), Tiago Lins novamente foi rápido. As imagens aceleradas do fogo, ainda no início, se alastrando pelo morro foram divulgadas pelo Twitter no início da madrugada. Está se espalhando tão rápido quanto o fogo, transformando-se, outra vez, no principal flagrante da desgraça.

A velocidade alucinada das informações no Twitter não são novidade. O saite já havia demonstrado força no dia da morte de Michael Jackson, no baile que o Lei Seca RJ deu na CET-Rio no dia do dilúvio no Rio ou mesmo na recente brincadeira do “Cala Boca Galvão”.

Nesse contexto, é impressionante que sua importância ainda seja colocada em questão. As dúvidas medrosas só poderiam mesmo vir de representates do velho formato.

sexta-feira

18

dezembro 2009

5

COMMENTS

segunda-feira

22

dezembro 2008

5

COMMENTS

As árveres samo nozes

Written by , Posted in Urbanidades


foto: Louise Pedroso

Sem me dar conta de que o lugar estaria repleto de pessoas assistindo o show de luzes da árvore de natal no começo da noite, optei pela ciclovia da Lagoa em vez da praia, como caminho mais prático. Quando percebi, já era tarde demais.

Pra minha surpresa, em vez do tumulto, desordem e confusão comumente associados ao que acontece nas margens e no entorno da Lagoa nessa época do ano, as coisas estavam até bem calmas.

Diversas pessoas de várias partes da cidade, crianças, além de turistas brasileiros e estrangeiros, tiravam foto e caminhavam tranquilamente pela mal iluminada ciclovia. Deu gosto de ver tanta gente curtindo a cidade, numa boa.

Bastou algumas pedaladas em direção ao epicentro, perto da Faculdade da Cidade, para tudo mudar de figura: dezenas de barracas de cachorro-quente, churros e tapioca ocupavam o espaço das bicicletas, carros parados em fila dupla interrompiam o trânsito, ambulantes estressados xingavam quem estivesse na frente “atrapalhando” seus negócios…

O Rio de sempre. Com suas ilusões e realidades.

%d blogueiros gostam disto: