gabriel thomaz Archive

quinta-feira

7

abril 2016

0

COMMENTS

Nova do do Autoramas: “Jet to the Jungle”

Written by , Posted in Música

Autoramas Jet to the Jungle URBe

“Jet to the Jungle” é o novo clipe do Autoramas. A música faz parte de “O Futuro dos Autoramas”, disco novo da banda carioca que foi lançado na metade do mês passado e que traz ainda uma versão de “Be My Baby” (The Ronettes).

É o primeiro disco com a nova formação, que agora conta com Érika Martins (Penélope), Fred Castro (Raimundos), Melvin, e é claro, Gabriel Thomaz.

Rrrrrrrock!

segunda-feira

12

janeiro 2015

0

COMMENTS

terça-feira

6

abril 2010

8

COMMENTS

OEsquema apresenta: "OViolão"

Written by , Posted in Música


foto: Caroline Bittencourt / design: Dimáquina

O pacote com a coletânea completinha: OEsquema apresenta: “OViolão”.

Pra saber mais detalhes do projeto é só ler os dois textos de apresentação escritos por mim e pelo Matias no dia que as músicas começaram a pingar por aqui.

1. Lulina – “Mentirinhas de Verão”
2. AVA – “Filha da Ira”
3. Lucas Santtana – “Nighttime In The Backyard”
4. Wado – “Frágil”
5. João Brasil – “Orgasmadance”
6. Burro Morto – “Navalha Cega (Violas)”
7. Frank Jorge – “São Tantas Tendências”
8. Momo – “Mas É o Fim”
9. Curumin – “Solidão Gasolina”
10. Kassin – “Pra Lembrar”
11. Nina Becker – “Polyester Tropical”
12. Gabriel Thomaz – “248-6279”
13. CéU – “Cangote”
14. Do Amor – “Mindingo”

quinta-feira

1

abril 2010

0

COMMENTS

OViolão: Gabriel Thomaz, "248-6279"

Written by , Posted in Música


Gabriel Thomaz, “248-6279” (OViolão)

Com esse nome esquisito, não teve como não perguntar ao Gabriel Thomaz (do Autoramas) o porquê (Matias, conterrâneo de Brasília, já tinha matado a charada):

“Esse prefixo 248 é o prefixo antigo do Lago Sul, bairro de Brasília que tem as QI (Quadra Interna) e as QL (Quadra do Lago). Poderia ser uma QL, mas o Matias acertou, era QI 5 conjunto 2. Fico feliz em saber que você entendeu tudo agora. :)”

Bem no começo, a idéia do projeto era que os artistas gravassem da maneira mais simples possível, o que valia era o registro. A turma foi se empolgando e quando todas as gravações chegaram, estavam todas tão bem acabadas em termos técnicos que perguntei ao Gabriel se ele queria refazer e a dele. A resposta foi:

“Imaginei que a galera ia caprichar quando vi quem ia entrar, mas eu quis fazer assim mesmo, bem primitivo, sou muito mais Mummies do que Muse. Não sou inseguro. Se você for masterizar, queria que puxasse só volume, pra ficar bem estourado e sujo.”

Rrrrock!

terça-feira

23

março 2010

1

COMMENTS

%d blogueiros gostam disto: