sexta-feira

6

agosto 2010

0

COMMENTS

Chemical Brothers, "Further"

Written by , Posted in Resenhas

Só esses dias soube que o novo disco do Chemical Brothers, “Further”, já havia sido lançado, sem muito barulho. Um dos trabalhos recentes mais legais da dupla foi pouco comentado.

Tirando o atraso, tuitei um faixa-a-faixa enquanto dava a primeira volta na nave. Aproveitando o trabalho, reproduzo as impressões aqui, ilustradas pelos vídeos que fazem parte do DVD que acompanha o disco.


“Snow”

“Snow” vem mansa, naquele clima ripongo 21 que o Chemical Brothers cria tão bem, repetindo o mantra “your love keeps me lifting me, lifting me higher”…


“Escape Velocity”

Os vocais de “Snow” escorregam sobre “Escape Velocity”, que vai crescendo aos poucos. Mais de seis minutos adentro, o disco estoura em um 4×4, coberto por um zunido vuvuzelense digital, logo quebrado pela batida de uma caixa e blips retrô. Primeira faixa a vazar, não parecia tão boa antes. “Escape Velocity” vai alegrar a turma da fritação. Anos 90 voltando, alguém disse rave?


“Another World”

Após os quase 12 minutos de espancação de “Escape Velocity”, “Another World” relê os estacatos de grave do dubstep e vem macia, como uma prima não tão distante de “Star Guitar”. É um Chemical Brothes melhor que o dos discos anteriores “Push The Button” ou “We Are The Night”.


“Dissolve”

“Dissolve”. Baixou um Rush via psicodelia indiana na dupla.


“Horse Power”

“Horse Power” lembra um Chemical Brothers “Dig Your Own Hole” ou “Surrender”, menos fru fru e mais tenso. O teclado vibrando lembra “Hey Boy, Hey Girl”, lá longe.


“Swoon”

Chatinha a “Horse Power”, primeira ruim do disco. Os breaks de “Swoon” são cobertos por um insistente teclado agudo, meio desagradável. Tava indo tão bem… Aproveita para escutar o remix do Lindstrom & Prins Thomas.


“K+D+B”

Apontando pro fim, “K+D+B” é a “Golden Path” desse disco. Auto-referencial? Sim, mas com tanta coisa boa no repertório, tá valendo.


“Wonders Of The Deep”

Após o pouso de mais uma viagem psicodélica pelo espaço exaltando o amor com a belezura “K+D+B”, “Wonders Of The Deep” ambienta a volta. Próximos da cadência dos próprios shows, mais arena e menos clube e sem os convidados estrelados dos últimos discos, em “Further” o Chemical Brothers é somente Chemical Brothers. E isso é bom.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: