Frilas Archive

terça-feira

17

março 2009

1

COMMENTS

Zine

Written by , Posted in Urbanidades

Essa semana saiu o primeiro número de um zine que estou editando com o pessoal da Sal pra rede Koni Store, com notícias curtas de música, entretenimento, design, cinema, cultura digital e o que mais entrar. Não é mole não, na era da informação até restaurante japonês tem que entrar na roda. Edito os textos sozinho, mas a assinatura é OEsquema, inaugurando mais um serviço do seu portal favorito: agência de conteúdo.

terça-feira

19

fevereiro 2008

0

COMMENTS

G1, 18/Fev/2008

Written by , Posted in Imprensa, Resenhas

A íntegra da entrevista em vídeo que fiz com o Friendly Fires foi publicada no G1.

——-

Friendly Fires tenta confirmar burburinho em torno da banda

G1 entrevista novo nome da cena londrina
Grupo é comparado a Rapture e a LCD Soundsystem

Desde que lançaram, no ano passado, o compacto com “Paris”, faixa com influência de pós-punk, tecladinho viajante e um refrão que não sai da cabeça, o Friendly Fires vem sendo apontado como a próxima grande banda da Inglaterra.

Vá lá que em Londres surge, em média, ao menos uma grande banda por semana. Ainda assim, o Friendly Fires parece estar acima da média.

Logo depois de um show gratuito – patrocinado por uma revista e uma loja de roupas – no 93 Ft. East (mesmo lugar onde o Radiohead tocou também de graça em janeiro), o trio topou se espremer no banheiro do camarim para uma entrevista. Era o único lugar disponível para gravar o papo sem intereferência dos sons do show do Black Kids.

Ed MacFarlane (vocal e guitarra), Edd Gibson (guitarra), Jack Savidge (bateria) falam sobre ser a banda da vez, tocar de graça e uma possível visita ao Brasil.

G1 – Como a banda está indo? Vocês têm recebido bastante atenção. Já tocaram no exterior?
Ed MacFarlane –
Tocamos na Europa e tem sido ótimo. Ainda não nos aventuramos nos EUA, mas estamos empolgados para fazer isso.
Edd Gibson – Estamos apostando no sonho de dar a volta ao mundo.

G1 – Está dando certo?
Gibson –
Sim, em 2008 estaremos na sua região.
Jack Savidge – Ou então em 2009.
MacFarlane – Provavelmente será em 2009!
Edd Gibson – Enviem suas doações e nós vamos economizar para comprar a passagem de avião.
Savidge – Nós ainda vamos existir.

G1 – Toda semana aparece uma nova banda da vez e vocês, aparentemente, são a próxima da fila. Como vocês lidam com isso?
Gibson – Hoje é quarta, estamos aproveitando ao máximo. Tivemos dois dias de fama total, ainda temos mais quatro!

G1 – Como isso pode afetar uma carreira? Boas bandas podem ser obrigadas a ceder a vez para uma próxima.
Ed MacFarlane – Tudo se resume a canções. Se você tiver boas canções, que ficam na cabeça das pessoas…
Savidge – Você vai levando. Uma hora você está por cima, outra está por baixo e eventualmente as coisas se acertam.
Gibson – Nós acabamos de começar, não vamos parar agora.

G1 – Há quanto tempo vocês estão juntos?
Gibson – Cerca de um ano [risos].
MacFarlane – Nós tocamos juntos desde que temos 13, 14 anos, mas montamos a banda há um ano… (pausa) Realmente está com cheiro de xixi aqui, não está?
Gibson – Sim, está!

Savidge – Nós formamos o Friendly Fires há um ano e meio, mas nos conhecemos e tocamos juntos há uns seis ou sete anos.

G1 – O show de hoje foi gratuito. Primeiro foram os downloads de graça, depois, há cerca de um mês, o Radiohead fez um show grátis nesse mesmo lugar e agora vocês estão aqui também tocando de graça. Aposto que vocês estão sendo pagos por alguém, mas o público entrou sem pagar. A música está perdendo valor, ao ponto que até os shows terão que ser gratuitos?

Savidge – Acho que o dinheiro está perdendo valor, está saindo de moda. A gratuidade vai tomar conta de tudo.
MacFarlane – Essa noite, por exemplo. Se uma grande companhia quer fazer um evento, ela vai pagar bandas para tocarem. E bandas querem dinheiro, não dá pra sobreviver sem.
Savidge – Bandas precisam de dinheiro!
MacFarlane – Exato. Nós estamos…
Gibson – No vermelho, basicamente.
MacFarlane – É deprimente, mas você tem que se virar com o que aparece.
Savidge – Não é tão deprimente assim [risos].

G1 – Vocês acham que o público está ficando mal acostumado? Eles só vão querer o que for de graça?
Savidge –
O público londrino está ficando mal acostumado. Os londrinos precisam…
Gibson – … apreciar o que têm. Talvez todos os shows deveriam ser banidos em Londres por um tempo, assim as pessoas apreciariam mais o que tocar na cidade. Há tantos lugares em que bandas raramente vão que, quando qualquer evento aparece, eles acham fantástico. É melhor ir para lugares onde as pessoas não são tão mal acostumadas. Se você for para mais longe, encontrar um público que dá mais valor.
MacFarlane – Os londrinos são mimados, é assim que as coisas são.

G1 – Quantas vezes vocês já foram confundidos com o Arcade Fire?
Gibson – Nenhuma! Você é o primeiro!
MacFarlane – Que bom que você tocou no assunto. Fantástico!
Savidge – Você pensou que fosse ver o Arcade Fire hoje?
Gibson – Você não vai conseguir espremer todos eles num banheiro [o Arcade fire tem sete integrantes].
MacFarlane – O empresário deles não os deixaria dar entrevista num banheiro fedendo a xixi.

G1 – Vocês são muito comparados ao Rapture ou The Killers?
MacFarlane – The Killers não, mas Rapture sim, ocasionalmente.
Savidge – Não tanto o Rapture.
MacFarlane – LCD Soundsystem, Rapture…
Savidge – Já escutamos tudo isso antes.

G1 – Para terminar, se a banda não der certo, vocês tem um plano B?
Gibson – Vou entrevistar bandas em banheiros.
MacFarlane – Minha mãe vai me levar sopa no quarto, vou ficar na cama o dia todo e chorar o resto da minha vida.

%d blogueiros gostam disto: