am Archive

sexta-feira

17

janeiro 2014

8

COMMENTS

Os bons discos internacionais de 2013

Written by , Posted in Destaque, Música

osbonsdiscosinternacionais2013

Antes de qualquer coisa, devo começar dizendo que desisti da corrida. Simplesmente não dá mais tempo MESMO de acompanhar todos os lançamentos, nem por trabalho (não que já não venha sendo assim nos últimos anos).

Com o Queremos! e WeDemand tomando cada vez mais tempo, ironicamente sobra menos para ouvir música da maneira que ouvia (e quem tem esse tempo?). E ainda tem um molecote, que é prioridade no pouco tempo que resta, e ele gosta mesmo é de Yo Gabba Gabba.

Não ouvi o novo do Arcade Fire (mas vou ouvir), não escutei ainda o Run The Jewels (mas vou escutar – e quem sabe esses discos não pintam no Chegando Atrasado). E quer saber? Está ótimo assim.

Nada impede que volte a querer ouvir tudo na hora que sai, mas por enquanto tá bom assim. É muito legal ver as listas de melhores do ano de outras pessoas e descobrir discos que passaram batido. É bom ser leitor um pouco.

Exatamente por isso, como em 2012, a palavra “melhores” foi abolida do título das listas. O que você encontra aqui são os bons discos que escutei em 2013, alguns muitas vezes, outras apenas uma. A lista não está em nenhuma ordem específica, tirando o primeiro lugar.

Se você ouviu algo muito bom e não viu aqui, deixe suas dicas nos comentários.

As listas de discos nacionais, de shows e destaques de 2013 já foram publicadas, só clicar.

O disco internacional de 2013:

Mount Kimbie Cold Spring Fault Less Youth

Mount Kimbie, “Cold Spring Fault Less Youth”

O Mount Kimbie já havia feito uma curva importante, quando se embrenhou pelo post-dubstep. Provando que estão atentos a estrada, a dupla mais uma vez fugiu dos atalhos, chegou mais pro meio da pista adicionando percurssões mais presentes evocais (próprios e do King Krule) as suas camadas espaciais e conseguiram, novamente, apontar novos caminhos (não é coincidência que tenham feito parte da banda do prodígio James Blake no início). É música de pista pra quem quer dançar, dançando.

jagwar-howlin

Jagwar Ma, “Howlin”

Darkside Psychic

Darkside, “Psychic”

King Krule 6 Feet Beneath The Moon

King Krule, “6 Feet Beneath The Moon”

atomsforpeace_amok

Atoms For Peace, “Amok”

daft-punk-random-access-memories

Daft Punk, “Ramdom Access Memories”

Oliver Wilde A Brief Introduction to Unnatural Light Years

Oliver Wilde, “A Brief Introduction to Unnatural Light Years”

James-Blake-Overgrown-Deluxe-Edition-Album-Art

James Blake, “Overgrown”

Disclosure_-_Settle

Disclosure, “Settle”

yyy yeah yeah yeahs cover mosquito

YYY, “Mosquito”

Connan Mockasin caramel

Connan Mockasin, “Caramel”

Matthew E White Big Inner

Matthew E. White, “Big Inner”

Rodriguez Searching For Sugar Man

Rodriguez, “Searching For Sugar Man”

Unknown-Mortal-II

Unknown Mortal Orchestra, “II”

Charles Bradley Victim of Love

Charles Bradley, “Victim of Love”

fuckbuttons_slowfocus

Fuck Buttons, “Slow Focus”

cloud-nothings-attack-on-memory

Cloud Nothings, “Attack on Memory”

factory-floor-factory-floor

Factory Floor, “Factory Floor”

kurt vile wakin-on-a-pretty-daze

Kurt Vile, “Wakin On A Pretty Daze”

Is Tropical-im-leaving

Is Tropical, “I’m Leaving”

internet_feelgood

The Internet, “Feel Good”

mia-matangi

M.I.A., “Matangi”

boards-of-canada_tomorrows-harvest

Boards of Canada, “Tomorrow’s Harvest”

AM & Shawn Lee La Musique Numerique

AM & Shawn Lee, “La Musique Numerique”

Strokes_Comedown-Machine

The Strokes, “Come Down Machine”

segunda-feira

8

abril 2013

0

COMMENTS

A música numérica de AM & Shawn Lee

Written by , Posted in Destaque, Música

O segundo disco da dupla formada por AM (que fez um dos grandes discos de 2010) e Shawn Lee está prontinho para ser lançado. Gravado a distância, AM & Shawn Lee não se encontraram nenhuma vez no mesmo estúdio. AM fez suas partes em Londres e Shawn em Los Angeles.

O texto de divulgação fala em “afastar-se do retro pop-soul e Tropicália do primeiro disco em nome de um som mais sintético, com muita influência dos sons franceses do final dos anos 70, ítalo disco dos 80 e riddims de dancehall”.

Porém, o que foi mostrado até aqui aponta mesmo é para o reggae. Da convocação rocksteady de “Replay” a linha de baixo do proto dancehall riddim “Sleng Teng” utilizada em “Two Times” e a chapação da “versão cósmica”(de acordo com a dupla) de “Steppin’ Out”, do Joe Jackson, o disco vem com um pé fincado na Jamaica. Ô coisa boa.

segunda-feira

4

junho 2012

0

COMMENTS

quarta-feira

11

janeiro 2012

0

COMMENTS

terça-feira

21

dezembro 2010

29

COMMENTS

Melhores discos internacionais de 2010

Written by , Posted in Música

A lista de 2010, baseada mais no número de audições pessoais, pra ver se fica um pouco diferente. Tudo quanto é lista tem estado muito parecida, parece até que é uma prova, com certo e errado.

Vamos lá:

10.

AM, “Future Sons & Daughters”

09.

Broken Bells, “Broken Bells”

08.

Gil Scott-Heron, “I’m New Here”

07.

Darwin Deez, “Darwin Deez”

06.

Beach House, “Teen Dream”

05.

Mount Kimbie, “Crooks & Lovers”

04.

Kings Go Forth, “Outsiders Are Back”

03.

The Drums, “The Drums”

02.

LCD Soundsystem, “This Is Happening”

01.

The Roots, “Dilla Joints”
(pode falar o quanto quiser que é uma “mixtape”, no que depender da quantidade de audições por aqui, é disco do ano)

%d blogueiros gostam disto: