segunda-feira

24

fevereiro 2014

0

COMMENTS

Transcultura #133: Hoje tem Vibronics

Written by , Posted in Imprensa, Música

Vibronics

Edição extra da “Transcultura” nessa segunda, coluna que publico todas as sextas no jornal O Globo:

Vibronics mostra seu reggae inspirado nos anos 1970 nesta segunda-feira na Lapa
O grupo britânico se apresenta no Leviano Bar, ao lado do Digitaldubs

por Bruno Natal

O Digitaldubs recebe nesta segunda-feira os ingleses do Vibronics em mais uma edição da sua festa no Leviano Bar, na Lapa, às 23h. O MC Macky Banton acompanha o grupo. Especializado no gênero conhecido como UK Steppa, o grupo mistura a tradição do reggae com elementos eletrônicos, num som parecido com o feito pelo britânico Zion Train ou mesmo com algumas produções do Digitaldubs.

— O UK steppa é o dub reggae do Reino Unido moderno, inspirado pelo dub jamaicano, mas com uma sonoridade mais pesada e tecnológica — explica Steve Vibronics, que dá nome ao grupo. — O estilo existe há mais de 20 anos no Reino Unido, porém só agora tem decolado no resto do mundo. Por isso estamos no Brasil.

Apesar de digital, a influência do reggae e dub dos anos 1970 é escancarada, tanto nos efeitos, quanto nas linhas de baixo.

— Nós tocamos alguns roots reggae tradicionais da Jamaica, geralmente no início do show. Apesar de tocarmos as produções mais recentes da Europa, a maior parte dessas músicas tem uma mensagem rastafari ou política. Essa é a tradição do reggae na qual seguimos firmes. É entretenimento, mas é também educação. É música para a mente, corpo e a alma — filosofa Vibronics.

A atual ascendência da chamada bass music, através do sucesso do UK funky e breaks no Reino Unido, onde o grave sempre tem vez, e do trap e a releitura do dubstep feitos nos EUA agradam Steve. Para ele, porém, falta algo.

— As produções da nova bass music são muito boas, mas para mim falta a profundidade emocional e política que o roots reggae tem e que é central nas produções do Vibronics — explica.

Já tendo estado no Brasil, Vibronics conhece um pouco da cena local de sound systems.

— Estamos vendo o movimento crescer muito por aqui nos últimos anos. Há uma longa tradição de bandas, artistas e cantores, portanto o legado do reggae está bem representado no Brasil. E para nós, amantes dos sound systems, é muito empolgante assistir seu desenvolvimento no país.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: