quinta-feira

26

março 2009

3

COMMENTS

The Twelves crescendo nos EUA

Written by , Posted in Música, Resenhas


MSTRKRFT, “Bohemian Rhapsody” em SF

Produtor do Circo Voador, Rolinha estava em São Franciso na semana passada e conferiu os brasileiros do The Twelves, Simian Mobile Disco e MSTRKRFT por lá. Voltou impressionado com a recepção que a dupla de Niterói está tendo em sua turnê nos EUA e escreveu um relato especial para o URBe.

Semana passada três duos de ponta do que eu suponho, sei lá, seja uma vertente do maximal, se apresentaram em São Francisco: Simiam Mobile Disco no Mezaninne, The Twelves no 103 Harriet e MSTRKRFT no Independent.

Geralmente não vou ver artistas brazucas na gringa, porque posso ver no Braza, mas no caso do Twelves é diferente. Nunca consigo curtir os shows deles porque geralmente estou trabalhando no show e queria ter uma perspectiva do que eles são atualmente. E vou dizer, tive que tomar uma boa distância, porque os caras estão ficando grandes lá fora!

Senti logo quando fui convidar uma mina irlandesa que mora lá pra ir ao show e não precisei nem gastar muita lábia. Bastou falar o nome da banda que ela topou. Quando cheguei lá, tinha muito mais gente que eu esperava.

Durante a abertura do Shadow Dancer deu pra observar a platéia: nenhum patrício. Quando eles entraram, ninguém gritou “toca Raul”, então não tinha nenhum brazuca mesmo. Os caras foram recebidos com urros e em minutos aquilo virou um fervo!

De repente olho pro palco e tem umas seis mulheres se agarrando na frente dos niteroienses, um show de lesbianismo explícito! Quando rolou o remix de “Boyz” (M.I.A.) os hormônios entraram em combustão. Parecia show no Circo! O segurança tirava do palco e elas invadiam de novo. Mesmo quando rolou uma pane no sistema, a temperatura não baixou.

Quando tocou o remix de “Reckoner” (Radiohead), o povaréu so faltou acender isqueiros. Na verdade teve um maluco que acendeu aquela app do IPhone que imita um isqueiro, muito útil em shows do Scorpions. Foi consagrador, noite perfeita!

Chamou a atenção o Simiam ter tocado num lugar menor do que o do Twelves, mas foi animal. Ao contrário do acento funky do duo de Niterói, eles pegaram muito mais pesado. Não tocaram a versão do Justice da sua “Never be alone” — agora mais conhecida pelo nome do remix, “We Are Your Friends” — e ninguém pediu. Aliás, nem sei se eles tocam essa música ao vivo. Além de surdo, sai de lá meio cegueta de tanto estrobo

Já cheguei na porta do Independent, munido do maior desgosto do mundo, pois sabia que estava esgotado. Mas como sou brasileiro e não desisto nunca, fiquei lá passando frio até ter uma notícia positiva. Depois de uma hora, já era melhor amigo do chefe da segurança que me confidenciou que iam abrir pra vender mais uns ingressos em breve.

Cheguei pra um grupinho na porta que estava na mesma expectativa e dei a boa nova. Antes de entrar ficamos trocando idéia na fila e o assunto principal era o show do Primal Scream com o Brian Joneston Massacre no dia anterior. Até que alguém tocou no nome do Twelves e esse virou “O” assunto. Todos haviam estado lá, menos um casal que não pode ir, mas ia ver em Austin, no South by Southwest.

Fiquei de cara com a moral dos malucos. Entramos lá a tempo de vermos o MSTRKRFT entrando num set composto por três telões de plasma, com imagens da Bettie Page spanking uma outra mina.

Começaram com “Bounce. Chorei! Daí pra frente não parei de quicar, que nem um feijão mexicano. Rolou “Work on You”, o remix de “D.A.N.C.E.” (Justice), “Fist of God” até o magistral encerramento com “Bohemian Rhapsody”, do Queen! Em uma palavra: épico.

Deixe uma resposta

3 Comments

  1. Lielson Zeni

Deixe uma resposta para canhotão Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: