musica experimental Archive

quarta-feira

18

abril 2018

0

COMMENTS

Produtor Kinkid lança álbum de novo projeto

Written by , Posted in Música, Sem categoria

Nome por trás do Kinkid e do selo musical Domina, o carioca Jose Hesse acaba de inaugurar seu novo projeto de música experimental, batizado de Elionor Emu.

O primeiro passo foi lançar o álbum de oito faixas “Week’s been A blur”, disponível na plataforma Bandcamp. Hesse participou na edição paulista do festival Dekmantel 2018.

terça-feira

11

outubro 2016

0

COMMENTS

Tom Zé: 80 anos na vanguarda da música brasileira

Written by , Posted in Música

tom-ze-80-anos
Foto: André Conti

Um dos maiores ícones da música brasileira, Tom Zé está completando hoje, 11 de outubro, 80 anos de idade. Seus trabalhos na era da Tropicália e, posteriormente, com a música de vanguarda e experimental, o tornaram um dos artistas mais originais já vistos no mundo.

sexta-feira

2

março 2012

1

COMMENTS

Sobre a Máquina, “Decompor”, “Areia” e “Anomia” (2011)

Written by , Posted in Destaque, Música

Nascido como um projeto solo de Cadu Tenório, o Sobre a Máquina inicialmente partiu da “influência de bandas e artistas como o Throbbing Gristle, Einstürzende Neubauten, Coil, Autechre, Aphex Twin, Tim Hecker, Fennesz e Can para criar um som que passasse a intensidade de algo crítico e envolvente como o que sentia ao ouvi-los”, segundo ele próprio.

O Cadu enviou os CDs da trilogia do Sobre a Máquina que está lançando e pedi pra ele mesmo apresentar a banda:

“No inicio de 2010 o Sobre a Máquina virou um trio. Convidei os amigos Emygdio Costa e Ricardo Gameiro para fazerem parte do projeto, que logo se tornou uma banda.

“Os dois discos (‘Decompor’ e ‘Areia’) e o EP (‘Anomia’) formam uma trilogia conceitual que fecha um ciclo de idéias baseado no desgaste da vida e nas formas de auto-renovação. Mais especificamente destruição e reconstrução do ser ou, se preferir, uma maturidade forçada.

“‘Decompor’ representa a percepção de desgaste, a repetição letárgica e intensa da rotina e os conflitos que surgem com base nisso. Isso caracteriza a sonoridade arrastada e densa do disco.

“‘Areia’ representa o que sobrou. O costume com a rotina mecânica as vezes faz com que você passe a reparar melhor em detalhes que antes passavam despercebidos. Apesar das línguas negras, do engarrafamento, do cheiro de podridão de alguns rios que cruzam a cidade, ainda nos deparamos com gaivotas planando no céu e belíssimas garças imóveis através das janelas. Nesse disco as melodias passam a ficar mais em evidencia ‘costurando’ o caos.

“‘Anomia’ representa o fim do ciclo. O ponto em que, por ter adquirido uma percepção mais ampla com o passar do tempo, você percebe que precisa conhecer a si mesmo. Apesar do cansaço e da inexistência de um propósito claro, você continua. A sonoridade nesse EP é silenciosa e compacta. Levando o experimentalismo da banda o mais próximo possível de algo ‘pop’ em contraponto com o todo.

“Um novo ciclo já está em andamento e estará dentro de um disco de 12 faixas que será lançado no segundo semestre de 2012.”

Para baixar os discos é só passar no Bandcamp do Sobre a Máquina.

%d blogueiros gostam disto: