Baianas de Santa Luzia do Norte Archive

quarta-feira

11

fevereiro 2009

14

COMMENTS

Wado e o “Atlântico Negro”

Written by , Posted in Música


foto: Maurício Vianna

Preparando seu novo disco, “Atlântico Negro” (seu quinto), Wado, um dos favoritos da casa, enviou uma demo de uma das músicas e liberou para ser compartilhar aqui no URBe.

É uma versão de uma música das Baianas de Santa Luzia do Norte, chamada “Boa tarde povo” – já gravada pelo Botecoeletro, como apontado nos comentários.


Wado“Boa tarde povo”

Na Gazeta de Alagoas, Wado fala sobre o disco, viabilizado com um patrocínio da Funarte e comtemplado no Projeto Pixinguinha — o que significa que o disco sai em formato físico e haverá uma turnê:

No meio do processo de criação, Wado vai gravando as músicas. Algumas certamente estarão no seu próximo CD, outras podem não entrar. Até o momento, ele arrisca dizer que o disco tem “uma metade bem festeira e uma metade mais triste, meio A Farsa do Samba Nublado”. O flerte com os ritmos e as expressões categorizadas como de países de terceiro mundo continua. “Este disco tem se mostrado até agora bem mergulhado no afoxé. Ele trata da diáspora negra e dos ritmos que isso gerou pelo mundo. Tem mais violão e guitarra. Não sei se quem vai mixar vai preservar isso, mas é um disco mais orgânico do que o anterior”, explica.
Bônus: aos poucos, com paciência, Wado construiu e fortaleceu uma carreira em nível local e nacional. Artista solo desde 2000, ele permanece na estrada e vira na reta que leva ao quinto disco. As gravações começaram no final de 2007. Com a comodidade dos estúdios caseiros, ele vai formatando sua obra como deseja. Quando precisa utilizar um estúdio mais caro, mete a mão no bolso. Ao lado de Tup e Dinho Zampier, vai moldando sua nova empreitada, acompanhado de Rodrigo Peixe (bateria) e Bruno Cavalcanti (baixo), sem esquecer dos “compositores de bairros distantes”. Com o prêmio do projeto Pixinguinha, vai bancar mixagem e masterização em nível profissional. Modesto, não cria expectativas sobre a nova obra e acredita que ela “não vai reverberar muito além do que os outros trabalhos tiveram, caso eu continue morando por aqui”.

Está programado para sair em julho de 2009.

%d blogueiros gostam disto: