terça-feira

27

maio 2003

0

COMMENTS

JB Online, 27/05/03

Written by , Posted in Imprensa

Berna Ceppas apresenta novidades do projeto com Yuka no Rio Sesc Experimental

A apresentação de Berna Ceppas no Sesc Rio Experimental, em Copacabana, foi marcada pelo improviso. O produtor e tecladista, membro-fundador da Orquestra Imperial e responsável por trabalhos de artistas como Bebel Gilberto e Caetano Veloso, deixou para preparar sua apresentação na véspera.

Isso não quer dizer que a apresentação tenha sido feita de qualquer jeito. Improvisação é uma das características de Berna. Sempre envolvido em diversos projetos, pra ele o normal é fazer tudo em cima da hora. Como ele mesmo tentou justificar, rindo, “música experimental ou improvisada no fundo é a mesma coisa”.

Baseando-se na música eletrônica, Berna utilizou desde teclados, lap-top e sampler a instrumentos acústicos, passando por bases programadas. Chamados em cima da hora, quem também estava no improviso era a turma da Apavoramento, responsável pelas imagens projetadas no telão atrás do palco.

A performance contou ainda com uma engenhoca, inventada por um alemão, que transforma qualquer Game Boy num sintetizador. Os sons produzidos pelo sintetizador portátil e outros ruídos eram então misturados às bases pré- programadas e samples de “Banana Boat Song (Day-O)”, da trilha do filme “Os fantasmas se divertem”.

Tudo isso ao vivo, possibilitando ao público acompanhar a adição de cada elemento e o processo de construção da música. O resultado, muitas vezes, era um pancadão, no melhor estilo Miami bass.

O clima ficou mais calmo na segunda metade do show. Foi quando, além dos apetrechos eletrônicos, Berna contou com a participação de Moreno Veloso e do baixista do Stereo Maracanã, Maurício Pacheco. Quem também apareceu foi Don Negrone, figura fácil das noites de hip-hop, improvisando até em cima das informações das carteiras de identidade, que pediu aos espectadores.

Berna aproveitou para testar uma música que está fazendo em parceria com o ex-Legião Urbana para o novo espetáculo de Débora Colker. Essa não foi a única novidade. Mostrou ainda uma das músicas do aguardado projeto de Marcelo Yuka, ex-O Rappa, do qual, além de Maurício Pacheco, também é membro e produtor.

Para quem perdeu, Berna adianta que o projeto caminha na direção do dub, numa linha parecida com o Asian Dub Foundation. Nada mais justo, afinal Yuka é fã de carteirinha de Adrian Sherwood, produtor do último álbum dos ingleses.

Anúncios

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: