quinta-feira

12

janeiro 2006

8

COMMENTS

Desperdício

Written by , Posted in Resenhas

loucomotivos.jpg

Projeto paralelo do Falcão (Rappa), a banda Loucomotivos foi formada especialmente para tocar num bloco do carnaval baiano. Sobreviveu à festa e chegou aos palcos do Rio. O trocadilho infame do nome alertava, mas nada preparava para o que viria a seguir.

Com uma excelente banda na mão formada por Liminha (guitarra), João Fera(teclados, Paralmas), DJ Negralha e o baixistaLauro (Rappa), Pedrão (trompete, Seletores de Frequência e Quinto Andar), um lugar bacana (Circo Voador), com boa qualidade de som e principalmente, público, Falcão desperdiçou a chance de fazer um showzão.

Ao contrário de outros projetos similares, como a Orquestra Imperial e o Reggae B, também formados por nomes conhecidos e que fogem das obviedades, aproveitando a credibilidade para apresentar músicas pouco conhecidas do grande público, o Loucomotivos atacou de versões bobas de sucessos radiofônicos da geração 80 (isso não vai acabar nunca?). Sente o drama da 11 primeiras do repertório:

“Nós vamos invadir sua praia” (Ultraje a rigor); “Cinco minutos” (Jorge Ben), salvando o repertório; “Por enquanto” (Legião Urbana); uma medley de “Easy” (Commodores) / “Liberdade pra dentro da cabeça” (Natiruts) / “Você” (Tim Maia) / “Go back” (Titãs) / “Stir it up” (Bob Marley); “Pais e filhos” (Legião), com direito a uma espinafrada no baterista Marcelo Bonfá, por não ter autorizado uma versão do Rappa para música — graças a Deus; “Ska” (Paralamas) e “Nos barracos da cidade” (Gilberto Gil).

A participação de BNegão deveria ter emprestado alguma dignidade à apresentação, porém o repertório, novamente, não ajudou. “Olhos coloridos” (Sandra de Sá) e “Sossego” (Tim Maia), seguida de “Oye como vá” (música de Tito Puente creditada à Santana, num dos poucos momentos em que algum autor das músicas foi citado no show), serviram de trilha pra ir embora.

Individualmente, as músicas (com algumas poucas excessões) não são ruins, lógico que não. Acontece que são tão exaustivamente tocadas, inclusive nas rádios, até hoje, que já não causam o mesmo impacto. Um evento como esse poderia servir para introduzir outras músicas no circuito.

A temporada prossegue nas quartas de janeiro e na primeira de fevereiro. Passe longe, bem longe.

Anúncios

Deixe uma resposta

8 Comments

  1. Marcos
  2. LTT
  3. Lonha
  4. leoz
  5. leozinho

Deixe uma resposta

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: