toca-discos Archive

sexta-feira

17

novembro 2017

0

COMMENTS

Mari Romano, “Romance Modelo

Written by , Posted in Música

Mari Romano é uma artista nova do Rio, mais conhecida como integrante da banda feminista Xanaxou. “Romance Modelo” é seu primeiro disco solo, ecoando sons setentistas brasileiros, música latina (ela morou em Buenos Aires e canta em castelhano no disco), Mari se define como uma compositora e só isso.

Boa de palco, essa semana Mari fez o show de abertura dos ingleses do Daughter e arrebatou a plateia, coisa sempre complicada de se fazer.

Confira o disco de estreia, “Romance Modelo”, gravado com um belo time: o baterista Marcelo Callado (Do Amor, banda Cê) e o baixista Gustavo Benjão (Do Amor, Marcelo Camelo), além do guitarrista Pedro Carneiro (Boreal), do tecladista Thomas Jágoda e de outro baterista, Pedro Fonte.

Anúncios

sexta-feira

10

novembro 2017

0

COMMENTS

segunda-feira

30

outubro 2017

0

COMMENTS

A trágica história do The Frightnrs

Written by , Posted in Música

A história do The Frightnrs é de partir o coração.

Quando o veterano do punk rock Dan Klein conheceu Chuck Patel numa festa e descobriram ter o mesmo amor pelo reggae, chamaram Preet Patel e Rich Terrana e fundaram o The Frightnrs. Após alguns shows e um EP, os caminhos da banda cruzaram com o de Ticklah. Conhecido no reggae por trabalhos como “Dub Side of the Moon” –
e entrevistado no doc “Dub Echoes” – Ticklah também é um dos fundadores o Antibalas e tocou e produziu Sharon Jones.

Juntos produziram mais um EP, lançado pelo selo do Diplo, Mad Decent,e logo o Frightnrs foi contratado pela Daptone, gravadora de Sharon Jones e Charles Bradley, para lançar seu disco de estreia. Durante as gravações, Klein começou a perder peso, passar mal e logo foi diagnosticado com esclerose lateral miotrófica, uma doença neurodegenerativa. A banda conseguiu concluir o disco e marcou a data de lançamento para setembro de 2016.

Em junho, porém, após ir a um show da Sharon Jones & the Dap-Kings, Klein morreu, sem ver o lançamento do disco e sua aclamação crítica. Ficaram as músicas.

Acabaram de lançar um disco só de dub versions do disco original, produzido por Ticklah, “More to Say”. Ouça a versão de da música acima, “More to Say”:

quinta-feira

19

outubro 2017

0

COMMENTS

Tantão e Os Fita, “Espectro” (2017)

Written by , Posted in Música

Puxado pela boa repercussão dos shows na Audio Rebel, outro de abertura para o Planet Hemp e mais um no festival Eletronika, em BH, nas últimas semanas uma pergunta foi repetida a exaustão por toda cena local: já ouviu o disco do Tantão e os Fita?

Lendária figura da música carioca e da Lapa (se você já foi ao Circo Voador, certamente já o viu por lá), Tantão se juntou aso produtores Cainã Bomilcar e Abel Duarte (os Fita) para lançar seu disco de estreia, aos 54 anos.

Falando sobre o lançamento do disco, Silvio Essinger escreveu:

“Explicar a música de Carlos Antonio Mattos, o Tantão, é complicado. Os rótulos “experimental”, “canção torta”, “free punk”, “improviso” e até “maximalismo sombrio” são evocados no Bandcamp de “Espectro”, seu primeiro álbum como líder, à frente de um duo, os Fita. Fundador, no começo dos anos 1980, da Divisão Anti-Panzer, grupo de noise-rock que evoluiu com ele para o Black Future (autor de um clássico do pós-punk-samba apocalíptico, o LP “Eu sou o Rio”, de 1988), esse mitológico ser da noite da Lapa dos anos 80 e 90 — e artista plástico que expôs em Amsterdam numa individual em 2011 e uma coletiva em 2012 — chega a 2017 ainda disposto a confundir e provocar.”

“Portal”, com seu repetitivo “piripaque paque paque” é um bom exemplo e resumo das ambições estéticas do disco: loops sob efeitos (de todos os tipos), conduzindo mantras punk transcendentais, num formato entre a música e a as artes plásticas.

O Calbuque esteve no show e comentou:

“Sobrevivente de uma Lapa que era mais selvagem do que legal, viveu como se fosse o personagem de uma letra de Lou Reed ou um freqüentador da Factory de Andy Warhol. Brigou, xingou, beijou, desenhou, pediu um troco, pintou, abraçou, cuspiu, foi cuspido, riu, pediu mais algum, bateu, dançou, apanhou, mas não caiu. Ficou de pé – quase sempre trôpego, mas de pé.”

É a melhor barra pesada que você vai encarar esse ano.

Assista o clipe de “Espectro”:

Ouça o disco completo:

quarta-feira

18

outubro 2017

0

COMMENTS

Anúncios