sound system Archive

quinta-feira

13

julho 2017

0

COMMENTS

domingo

19

março 2017

0

COMMENTS

O balanço chapado do Spaniol

Written by , Posted in Música

friteaqui
foto retirada do mural do evento da festa no FB

Uma noite e três supresas:

Supresa 1. Espaço Éden e seu sound system

puregroove

Com um sistema de som Pure Groove, o chão do Edén treme com o grave macio, médios e agudos brilhando e som limpo, coisa rara em casas e festas do Rio. O piso de madeira e o tamanho reduzido da escura pista principal ajudam a aumentar a pressão sonora. O lugar conta ainda com outras duas pistas: uma no térreo e um terraço, numa atmosfera que  tem um pouco de Bunker 94 e um pouco de Fosfobox. Capitão da Wobble, Rodrigo S está a frente da direção artística da casa, que vem abrigando noites com DJs (de festas bacanas como O/NDA,  Somm, Batekoo, Magma) como  Omulu, Leo Justi, Tampenpi e outros. Escolha um dia que o estilo de som seja a tua praia que já vale a visita.

Surpresa 2. Sonido Tropico

sonidotropico_rio

A festa de SP se descreve assim:  “O Brasil é conhecido popularmente pela muvuca sonora cósmica que apela para os afro-deuses latino americanos e clama pela catuaba brazuco-selvagem. O Sonido Trópico veio para evocar o xamã da pluralidade cultural e difundir Eletroselva”. Os paulistas tem feito visitas ao Rio e a festa está pegando, notadamente entre uma galera mais nova do que os frequentadores da Selvagem e afins. Bela renovada.

Surpresa 3. Spaniol

Eletro com elementos latinos, batuques de cúmbia voando sobre linhas de baixo da escola dub, flautas se derretendo em efeitos e percussões estalando por toda parte. O amasso suave e chapado as vezes lembra o dub techno dos alemães do Rhythm & Sound (Basic Channel), outras o house progressivo e enfumaçado dos ingleses do Leftfield. Com diversas produções próprias ao longo do mix, o set do Spaniol segue um alinha bastante coesa, como se fossem músicas de um mesmo artista, porém sem com isso ser repetitivo ou cansativo. Pura meditação de pista.

sexta-feira

31

maio 2013

0

COMMENTS

sexta-feira

7

dezembro 2012

5

COMMENTS

MPC (Digitaldubs) fala sobre a noitada com Aba Shanti I no Rio (SORTEIO DE INGRESSO)

Written by , Posted in Destaque, Música

Aba Shanti I vem aí e MPC, do Digitaldubs, responsável pela noitada, explica porque sábado é um evento imperdível.

URBe – Explique para alguém que não sabe bem o que é um sound system: qual a importância da noite de sábado?

MPC – Sound system é um termo bastante usado hoje em dia, mas poucos tem realmente noção do que é… Se uma pessoa curte reggae e nunca viu/ouviu um sound system, ela apenas “acha” que sabe o que é reggae. Não importa a vertente – roots, dub, dancehall – a música reggae nasceu no sound system e só pode ser inteiramente apreciada num sound system. Não é a mesma coisa ouvir no iPod ou com um som normal de discoteca. E essa noite é imperdivel porque o nosso convidado, Aba Shanti-I, é um dos maiores representantes da cultura sound system atualmente.

URBe – O que Aba Shanti I representa pra cultura dos sound systems?

MPC – Pra resumir: “entendi” que tinha que montar as caixas do digitaldubs quando vi o Aba Shanti-I tocando. O Digitaldubs já estava em atividade há alguns anos, mas quando tive a experiencia de ver Aba controlando seu sound system ao vivo, mudou tudo. Espero que essa noite cause isso nas pessoas aqui.

URBe – Em termos da experiência de se visitar um sound system original, você se considera satisfeito com o que tem conseguido oferecer com os eventos do digitaldubs?

MPC – Estou feliz com o que o Digitaldubs vem oferecendo aqui no Rio em termos de qualidade de som. Claro que sempre queremos mais, só que as coisas vão crescer junto com a cena e com o publico. Nós estamos sempre trazendo atrações de peso pra cá, e modestia a parte, o Digitaldubs está fazendo um som de nivel internacional na cena dub (não à toa estamos sempre viajando pelo mundo).

Mas o diferencial dessa noite é que Aba Shanti-I é um mestre em ação. A forma que ele apresenta as músicas nos leva a um transe que faz o salão de dança virar um templo. Chega a ser uma viagem espiritual movida pelo som!

URBe – Fale um pouco do equipamento que será utilizado.

MPC – É o sistema do Digitaldubs. Se for necessário, vamos usar parte do som do teatro Rival. A vantagem é que o teatro é no subsolo e não tem vizinhança, então vamos poder soltar o grave como poucas vezes podemos.

PROMO: o primeiro a dizer a melhor maneira de se aproveitar os graves nos comentários leva 01 (um) ingresso individual para assistir o Aba Shanti I no Rival.

ATUALIZAÇÃO: Promo encerrada, o vencedor foi Emílio Dossi.

Abaixo, o trecho sobre sound systems do documentário sobre dub que dirigi, “Dub Echoes”:

terça-feira

4

dezembro 2012

1

COMMENTS

Anúncios