mac demarco Archive

quarta-feira

27

dezembro 2017

0

COMMENTS

Os bons discos de 2017

Written by , Posted in Música

A cada ano as muitas listas de melhores discos tem ficado cada vez menos homogêneas. E isso é muito bom.

O volume de lançamentos atual – e o fácil acesso a praticamente todos eles – torna impossivel dar conta de tudo.

Cada um entra numa viagem pessoal nas diversas plataformas de streaming, 3′ que um disco te leva a outro e a cada curva nesse emaranhado de gravações torna a experiência úmica.

Sim, as unanimidades seguem surgindo e e por mais que alguns discos pareçam onipresentes, isso vai se tornando cada vez mais a excessão do que a regra.

Como venho fazendo há alguns anos, em vez de “melhores”, temos os “bons discos de 2017. Esse ano juntei no mesmo post os brasileiros e de outros lugares do mundo (até onde consegui acompanhar).

Num universo cada vez mais voltado aos singles e repleto de bandas de uma música só, ouvir um disco inteiro é cada vez mais uma experiência especial.

E para o ouvinte, inundado de opções, essas listas talvez sirvam mais como um guia, iluminando o que possa ter passado batido – inclusive discaços de bandas que as vezes parecem de uma música só.

Vamos a turma de 2017. Em cada bloco, destaque para o mais importante na lista, o restante segue sem nenhum ordem especial.

Abaixo, uma playlist com uma música de cada disco escolhido pra facilitar chgar a cada um deles.

Segue a lista!

Brasil

Lucas Santtana, “Modo Avião”

O baiano Lucas inovou em seu sétimo disco. “Modo Avião” é um áudio-filme, termo cunhado por ele para definir a combinação de músicas e literatura em que um formato alimenta o outro para contar uma história. O disco físico é acompanhado de um livro de ilustrações, mas a melhor forma de acompanhar a história é de olhos fechados. Como o título deixa explícito, o disco é um convite a se desplugar e praticar um hábito que parece perdido: parar tudo e ouvir um disco, do início ao fim. Se a proposta soa ousada, quase um desafio nos tempos atuais, torna o bom resultado musical final ainda mais relevante, quase um manifesto.

Rincon Sapiência, “Galanga”

Felipe S, “Cabeça de Felipe”

Domenico Lancelotti, “Serra dos Órgãos”

Castello Branco, “Sintoma”

Mari Romano, “Romance Modelo”

Chico Buarque, “Caravanas”

Baco Exú do Blues, “Esú”

Letrux, “Em Noite de Climão”

Otto, “Ottomatopeia”

Cícero, “Cícero & Albatroz”

Mundo

Kendrick Lamar, “DAMN.”

Kendrick segue dominando o cenário hip hop mesmo quando faz “concessões” em prol de um disco “mais pop” (na definição dlee próprio). Letras, temas, bases, clipes e técnica de divisão e abrangência vocal impresionantes (antes, com uma banda ao vivo, ainda entregava um showzão) colocam Kendrick no topo, mesmo sem liderar a corrida de hits em que se transformou a cena.

Cosmo Pyke, “Just Cosmo”

Thundercat, “Drunk”

Mount Kimbie, “Love What Survives”

War on Drugs, “A deeper understanding”

Chastity Belt, “I Used to Spend So Much Time Alone”

Curtis Harding, “Face Your Fear”

Sampha, “Process”

Moses Sumney, “Aromanticism”

SZA, “Ctrl”

Mac DeMarco, “This Old Dog”

quinta-feira

18

Maio 2017

0

COMMENTS

Mac Demarco apresenta seu terceiro álbum, “This old dog”

Written by , Posted in Música

Em colaboração para o URBe, a Milena Coppi fala sobre o novo disco do Mac de Marco:

O canadense Mac Demarco lançou no começo deste mês o terceiro álbum de sua carreira, “This old dog”. Com 13 faixas, o novo trabalho do cantor é mais sombrio e reflexivo do que o antecessor, “Salad Days” (2014),  que chegou a vender mais de 100 mil cópias nos Estados Unidos.

Apesar de não chegar a ser um som puramente melancólico — mesmo com uma pegada mais acústica, os sintetizadores ainda estão lá —, conhecemos um lado mais introspectivo de Mac, como na canção “My old man”, em que o artista fala sobre a relação difícil com o pai.

“Tenho tentando não me tornar alguém como ele. É a última coisa que eu gostaria de fazer, penso isso desde pequeno”, afirmou ele em entrevista ao jornal britânico “The guardian“.

Aclamado pela crítica e por sua fiel base de fãs, o novo disco ainda reúne muitas músicas para se ouvir chapado (ou apenas no seu momento relax), e faixas sobre amor do eterno apaixonado Mac, que está com sua namorada dos tempos de colégio, Kiera McNally, dos 14 anos até os dias atuais.

“Penso que estar apaixonado, seja com o coração partido, ou no início do relacionamento, seja confuso ou não, não importa muito. Há tantas coisas melhores do que não sentia absolutamente nada”, finalizou.

segunda-feira

9

Maio 2016

0

COMMENTS

As 25 canções que nos dizem para onde a música está indo

Written by , Posted in Música

justinbieber

O New York Times fez uma matéria compilando as 25 canções que melhor retratam os caminhos da música contemporânea. O texto ainda aborda o papel da música na sociedade atual, como e quais caminhos fazem para estabelecer características próprias dessa geração. A lista é composta por artistas como Justin Bieber, Rihanna, Wilco, Kendrick Lamar, Mac Demarco, Marvin Gaye, Coldplay e Pharrell Williams.

A hora que todo post puder ser transformado numa experiência interativa como essa proposta pelo NYT, sites e blogs como esse aqui voltam a disputar audiência com o Facebook novamente, oferecendo algo que não existe por lá.

 

quinta-feira

7

Janeiro 2016

1

COMMENTS

Os bons discos internacionais de 2015

Written by , Posted in Destaque, Música

urbe_bonsdiscosinternacionais2015

Já está chegando a hora de dar uma medalha para quem ouve um disco inteiro nessa era que vem sendo dominada por streamings avulsos e EPs. E duas para os artistas que conseguem 1) produzir um disco coeso nesse contexto; 2) conquistar atenção dos ouvintes para o disco inteiro nesse tiroteio de singles. Abaixo estão os discos que conseguiram puxar o foco para si seja pela importância do artista, seja através de uma única música que por acaso adentrou os ouvidos e acabou puxando as outras. Esses são alguns dos bons discos de 2015 – os que chegaram até aqui, ao menos.

Aqui estão as listas dos Bons Discos Nacionais de 2015 e Bons Shows de 2015.

O disco internacional de 2015:

djkoze-djkicks URBe

DJ Koze, “DJ-Kicks: DJ Koze”

O melhor disco do ano não foi um exatamente disco, mas uma mixtape. Sintomático com os tempos atuais, puro suco de 2015. O mix feito pelo DJ Koze para 50ª edição da série DJ Kicks é uma parada de outro mundo. Mesmo sendo uma coletânea, não se trata apenas de juntar um punhado de músicas, várias delas são edits, remixes e mashups produzidos pelo próprio Koze. Mesmo fazendo “apenas” uma seleção, o que o cara conseguiu é de deixar pasmo. Uniformidade de clima, astral, história através das letras. Coisa linda e imperdível.

kendrick-lamar-to-pimp-a-butterfly URBe

Kendrick Lamar, “To Pimp A Butterfly”

jamiexxincolourURBe

Jamie xx“In Colour”

alabamashakessound&colorURBe

Alabama Shakes, “Sound & Color”

Tame-Impala-Currents800-500x500URBe

Tame Impala“Currents”

KWTheepicURBe

Kamasi Washington“The Epic”

andyshauf-the-bearer-of-bad-newsURBe

Andy Shauf“The Bearer o Bad News”

leon-bridges-coming-home-URBe

Leon Bridges“Coming Home”

natalieprassURBe

Natalie Prass“Natalie Prass”

toroymoiwhatforURBe
Toro y Moi“What For?”

UMO-multiloveURBe

Unknown Mortal Orchestra“Multi-Love”

Mac DeMarco - Another One URBe

Mac DeMarco“Another One”

Diclosure Caracal - URBe

Disclosure, “Caracal” 

desmond cheese - peace & quiet URBe

Desmond Cheese, “Peace & Quiet” 

the internet ego death - URBe

The Internet, “Ego Death”

kurt vile - b'lieve i'm goin' down... URBe

Kurt Vile, “b’lieve i’m goin down…” 

badbadnotgood-ghostface-killah-sour-soul-URBE

Ghostface Killah/BadBadNotGood, “Sour Soul”

mew-fresh-blood-URBe

Matthew E. White, “Fresh Blood”

beirut-no-no-no URBe

Beirut, “No No No”

quinta-feira

7

Janeiro 2016

0

COMMENTS

Os bons shows de 2015

Written by , Posted in Destaque, Música, Resenhas

urbe_bonsshows2015

2015, o ano em que menos resenhei shows na vida. Foi quase tudo na base da legenda das fotos no Instagram. Faltam palavras, ficam as memórias evocadas pelas imagens.

Aqui estão as listas de Bons Discos Nacionais de 2015 e Bons Discos Internacionais de 2015.

O show de 2015Caetano e Gil (Circo Voador)

Caetano & Gil

A post shared by URBe (@urbe) on

The Chemical Brothers (Vivo Rio)

Q Q FOI ISSÚ?! ?? #thechemicalbrothers #queremos5anos

A post shared by URBe (@urbe) on

Matthew E. White (SXSW, Austin)

Matthew E. White. Showzão! Melhor que os discos, que já são bons demais. #sxsw #sxsw15

A post shared by URBe (@urbe) on

The War On Drugs (Coachella)

Hepcat (SESC Pompeia, SP)

Hepcat! ????

A photo posted by URBe (@urbe) on

The King Midas Sound (SESC Ginástico)

King Midas Sound no @novasfrequencias, boa @Chicodub! Pow! Pow! Pow! ????

A photo posted by URBe (@urbe) on

Todd Terje (Coachella)

Jamie xx (Coachella)

Saint Motel (Coachella)

Glass Animals (Coachella)

Panda Bear (Coachella)

Mac DeMarco (Coachella)

Father John Misty (Coachella)

BadBadNotGood (SXSW, Austin)

BadBadNotGood (pela 9a vez, sempre demais) #sxsw #sxsw15

A photo posted by URBe (@urbe) on

Gramatik (Coachella)

Lykke Li (Coachella)

Curumin (Casarão Ameno Resedá)

Lil’ Wayne (SXSW, Austin)

Lil Wayne #SxSW #sxsw15 #tunechi

A photo posted by URBe (@urbe) on

Natalie Prass (SXSW, Austin)

Natalie Prass (sexta publico um bate-papo com a moça na Transcultura) #sxsw #sxsw15

A photo posted by URBe (@urbe) on

TV on the Radio (SXSW, Austin)

TV on the Radio #sxsw #tvotr #sxsw15

A photo posted by URBe (@urbe) on

Letuce (Circo Voador)

Lançamento do disco novo do Letuce.

A photo posted by URBe (@urbe) on

Leon Bridges (Troubadour, West Hollywood)

Leon Bridges, coisa fina

A photo posted by URBe (@urbe) on

Foo Fighters (Maracanã)

Foo Fighters #AdolescenciaFeelings

A photo posted by URBe (@urbe) on

Pearl Jam 

PJ (Eddie would go)

A photo posted by URBe (@urbe) on

Spoon (Sacadura 154)

Que show do Spoon ontem! #queremos #queremos5anos

A photo posted by URBe (@urbe) on