segunda-feira

30

novembro 2015

COMMENTS

Invasão Novas Frequências: entrevista com Dawn of Midi

Written by , Posted in Música

dawnofmidi_novasfrequencias2016

Segundo post da série Invasão Novas Frequências, organizados pelo idealizador do festival Novas Frequências, Chico Dub.

Com seu jeito esquisito de tocar, o Dawn of Midi consegue fazer música acústica – baixo acústico, piano e bateria – soar como música eletrônica. Tentei trazê-los no ano passado, não rolou, só que agora, ainda bem, deu certo. Os três membros do grupo, baseado no Brooklyn, tem origem paquistanesa, marroquina e indiana. Fazem música minimalista muito mais via influências africanas do que via escola norte-americana (Steve Reich, Philip Glass, Terry Riley e co.) Ouçam o álbum “Dysnomia”. É absurdo de bom.

Chico Dub – Quais são suas maiores influências musicais? Jazz ou música instrumental no geral? Minimalismo eletrônico,  talvez?

Dawn of Midi – A maior influência em “Dysnomia” é a música popular do oeste e norte da África. Muito do que se conhece como “minimalista” no ocidente tem suas raízes nas idéias rítmicas africanas. A conexão com a música eletrônica provavelmente tem mais a ver com o tipo de som que produzimos do que com o conteúdo.

 

Chico Dub – Você acha que a sua música tem apelo para o ouvinte de jazz tradicional ou é uma cultura que continua fechada em si mesma?

Dawn of Midi – Tenho certeza que há ouvintes de jazz que apreciam o que fazemos, mas de maneira geral a comunidade jazzística não tem sido a mais empolgada com o nosso disco.

 

Chico Dub – Como suas heranças culturais e naturais indianas, marroquinas e paquistanesas surgem na sua música?

Dawn of Midi – Como dito anteriormente, esse disco é inteiramente inspirado pela música africana, e portanto há referências rítmicas do Marrocos além das do oeste da África, graças ao nosso pianista marroquino.

Chico Dub – Qual a parte mais difícil de se tentar emular loops mecânicos de computador?

Dawn of Midi – Não acho que jamais tenhamos pensado que o que fazemos seja emular loops de computador, muito embora o nome da banda (por coincidência) e estilo de música possam dar essa impressão. Estamos essencialmente tocando um tipo de música percussiva, e muitas das culturas percurssivas são baseadas em loops, alguns utilizando sistemas muito elaborados de loops e esses particularmente uma grande influência para nós.

Chico Dub – Para onde vocês podem ir em termos sonoros após “Dysnomia”? Há algo planejado para 2016?

Dawn of Midi – Será uma surpresa!

Anúncios

Anúncios